Julgando vs Percebendo

Julgar e perceber são palavras comuns no idioma inglês e são usadas por nós em referência à avaliação e compreensão do mundo à nossa volta, especialmente as pessoas e coisas. No entanto, aqueles que leram a psicologia junguiana sabem que essas são preferências que as pessoas têm e refletem a maneira como as pessoas encaram suas vidas. Para alguns, julgar e perceber são conceitos difíceis de entender, pois não são meras avaliações, são coisas de olhar e interpretar. Vamos entender a diferença entre julgar e perceber.

Personalidade Julgadora

As pessoas têm suas próprias preferências quando tomam decisões na vida. Julgar é uma dimensão do comportamento humano em que uma pessoa prefere chegar a uma conclusão antes de tomar uma decisão final. A dupla mãe e filha de Myers-Briggs propôs essa dimensão de julgar / perceber com base nos conceitos descritos por Carl Jung. Esta dupla publicou o MBTI para o indicador de tipo de personalidade para avaliar a personalidade das pessoas que se candidatam a empregos em tempos de guerra.

As pessoas que julgam fazem planos e cumprem esses planos em suas vidas. Essas pessoas enfrentam dificuldades quando há uma mudança repentina em seus planos ou os planos dão errado. Essas pessoas permanecem tensas até que cumpram o prazo e concluam os projetos em questão. É difícil ver essas pessoas relaxando e curtindo suas vidas. Os juízes se sentem confortáveis ​​com as regras em vigor. Eles atribuem importância ao cumprimento das regras. Os juízes tomam decisões e cumprem-nas como se sentem no controle dessa maneira. Os juízes são bastante previsíveis com planos e objetivos bem definidos. Essas pessoas vivem uma vida organizada.

Percebendo a persanalidade

Perceber é outro extremo da dimensão do comportamento que contrasta com o julgamento. Esses tipos de pessoas são de natureza flexível e mantêm suas opções em aberto até serem forçados a tomar decisões. Eles não gostam de padrões definidos e se adaptam facilmente a diferentes situações. Eles ficam felizes se tiverem espaço para manobrar e viver a vida de maneira casual, deixando seus projetos inacabados em vez de se esforçarem muito para concluí-los antes dos prazos. As pessoas que percebem não tomam decisões claras e são muito curiosas. Observadores são vistos questionando com autoridade, o que seria um anátema para os julgadores.

Qual a diferença entre julgar e perceber?

• Como extrovertido e introvertido, julgar e perceber é uma dimensão comportamental desenvolvida pela dupla mãe-filha de Myers e Briggs, com base nos conceitos junguianos.

• Julgar e perceber são preferências na vida que as pessoas têm ao tomar decisões.

• Julgar significa ter objetivos e decisões bem definidos na vida, enquanto os tipos de percepção não gostam de horários e prazos, pois são adaptáveis ​​e gostam de ser flexíveis.

• Regras e regulamentos são para juízes que gostam de trabalhar para estabelecer metas, enquanto os observadores vêem essas regras como restrições indesejáveis ​​para suas habilidades e liberdade.

• Os juízes estão felizes com uma autoridade, enquanto os percebedores são muito curiosos e freqüentemente se rebelam contra a autoridade.