Herniated vs Bulging Disc
  

Distúrbios da coluna vertebral são mais comuns na prática médica atual. Os dois termos hérnia de disco e disco protuberante podem soar iguais, pois os resultados finais são um pouco semelhantes, mas o processo da doença é diferente. Este artigo aponta as diferenças entre esses dois termos que seriam úteis para uma melhor compreensão.

Hérnia de disco

Quando o disco degenera, o núcleo pulposo envelhecido, que é a parte central mais macia do disco, pode romper-se através do anel externo circundante chamado fibrose do anel. Essa ruptura anormal do núcleo pulposo é chamada de hérnia de disco.

A hérnia de disco pode ocorrer em qualquer lugar ao longo da coluna vertebral, mas o local mais comum é a região lombar inferior no nível entre a quarta e a quinta vértebra lombar.

Clinicamente, o paciente pode apresentar dor nas costas acompanhada de choque elétrico, como dor, formigamento e dormência, fraqueza muscular, problemas na bexiga e no intestino, dependendo da localização da hérnia.

Geralmente, o diagnóstico é feito clinicamente, e a ressonância magnética será útil para confirmar o diagnóstico.

O tratamento do paciente depende da gravidade dos sintomas experimentados pelo paciente, dos achados do exame físico e dos resultados da investigação.

Abaulamento do disco

Nessa condição, o núcleo pulposo permanece contido no anel fibroso e não é aberto. O disco pode se projetar no canal medular sem abertura e pode ser um precursor da hérnia. O disco permanece intacto, exceto por uma pequena protrusão.

As causas são variadas, incluindo trauma, fraqueza genética na parede do disco e toxinas.

Clinicamente, o paciente pode apresentar dor intensa caso os nervos espinhais localizados diretamente atrás dos discos espinhais sejam comprimidos. Outros sintomas podem variar dependendo da localização da lesão. Os discos protuberantes na coluna cervical podem causar dor no pescoço, dor de cabeça, dor nas mãos, fraqueza e dormência. Na área torácica, o paciente pode apresentar dor nas costas que irradia pela parede torácica, dificuldade em respirar e palpitações. Na região lombar, o paciente pode se queixar de dores nas costas, problemas intestinais e da bexiga, além de disfunção sexual. Se o tom da bexiga e do esfíncter anal for afetado, torna-se uma emergência neurológica.

O tratamento inclui analgésicos, relaxantes musculares, massoterapia, fisioterapia e, em casos graves, opções cirúrgicas podem ser consideradas.